Cultura, vaginal, Vários Materiais Imprimir

  • Outros nomes:
  • BACTERIOLOGICO SECRECAO VAGINAL
  • CULTURA SECRECAO VAGINAL
  • SECRECAO VAGINAL, BACTERIOLOGICO
  • Cultura para aeróbios em secreção vaginal

Instruções

  • Método
  • - Cultura em meios adequados para avaliação da microbiota local e isolamento de microrganismos causadores de vaginites e vaginoses. Para pesquisa de Streptococcus agalactiae (grupo B) em gestantes, é aconselhável solicitação específica e de preferência realizar também o exame em material anal.
  • Valor de referência
  • - Presença somente de microrganismos considerados como microbiota habitual.
  • Interpretação e comentários
  • - A microbiota vaginal usualmente observada em mulheres adultas sadias é constituída por Lactobacillus (Doderlein), Corynebacterium spp (bacilos difteróides) e Staphylococcus coagulase-negativos.
    - A vaginose bacteriana é uma entidade polimicrobiana representada por um desequilíbrio no ecossistema vaginal, no qual há diminuição ou até mesmo ausência de bacilos de Doderlein, assim como aumento na concentração de Gardnerella vaginalis, anaeróbios e eventualmente Mobilluncus e Mycoplasma.
    - Já a vaginite consiste na presença de um processo inflamatório caracterizado por aumento de leucócitos no corrimento vaginal. Os agentes etiológicos mais freqüentes nessa condição são Trichomonas vaginalis e Candida albicans, além de outros microrganismos.
    - O exame de cultura de secreção vaginal tem utilidade no diagnóstico das vaginites, vaginoses e cervicites, uma vez que inclui a pesquisa de N. gonorrhoeae, Candida spp e Gardnerella vaginalis. Com os outros meios de cultura empregados na rotina do Fleury, permite também o isolamento de diversos microrganismos, a exemplo de enterobactérias, bacilos gram-negativos não-fermentadores, Streptococcus spp, Enterococcus spp e Staphylococcus spp. O resultado do exame é liberado com a correta identificação dos agentes isolados e uma quantificação individual do crescimento observado, expressa em porcentagem.
    - Este método ainda abrange o exame microscópico direto para a pesquisa de Trichomonas e o exame bacterioscópico, feito pelo método de Gram, para a avaliação da microbiota bacteriana local e de elementos celulares (leucócitos e eritrócitos). Nas mulheres adultas e/ou sexualmente ativas, excetuando-se gestantes, é também coletado material endocervical, no qual também se realizam separadamente o exame bacterioscópico e a cultura.
    - Em toda gestante, sobretudo entre a 35ª e a 37ª semana de gravidez, recomenda-se solicitar cultura específica para Streptococcus agalactiae (beta-hemolítico do grupo B), pois a sensibilidade aumenta quando esse agente é pesquisado em material de secreção vaginal (um terço inferior da parede vaginal é suficiente) e retal. Já as pesquisas de Mycoplasma hominis, Ureaplasma urealyticum/parvum e Chlamydia trachomatis necessitam de métodos especiais de detecção e de pedidos específicos do clínico.
  • Condições para envio do material - Laboratórios Clientes
  • - A cliente deve realizar higiene íntima habitual com água e sabonete, somente externamente.
    - Nas 48 horas anteriores ao exame, é necessário seguir os cuidados abaixo:
    -- não usar creme e/ou óvulo vaginal;
    -- não utilizar ducha nem fazer lavagem interna;
    -- não realizar exame ginecológico com toque e/ou ultra-sonografia transvaginal.
    -- não manter relações sexuais, com ou sem uso de preservativos.
    - O ideal é não fazer o exame durante a menstruação.
    - Se o exame for solicitado junto com cultura de secreção uretral, a cliente deve ficar pelo menos duas horas sem urinar antes da coleta.
    - Em crianças e clientes virgens, a coleta deve ser feita pela manhã, antes do banho.
    - No caso de uso prévio ou atual de antimicrobianos, o nome do medicamento precisa ser anotado na solicitação. A administração de antimicrobianos não impede a realização da cultura, mas, em algumas situações, pode interferir no resultado.

    Secreção cervical e/ou vaginal
    - Caso a paciente seja virgem, coletar com ceconete. NÃO colocar espéculo.

    - Colher com ceconete material do fundo de saco e paredes vaginais direita e esquerda, fazer esfregaço realizando movimentos circulares na lâmina lisa, próximo à etiqueta.
    - mergulhar este swab em um tubo de salina
    - desprezar este swab
    - destacar uma das hastes do swab de haste dupla
    - com esta haste, colher material do orifício do colo uterino
    - fazer esfregaço realizando movimentos circulares na outra metade da lâmina lisa
    - desprezar esta haste
    - com a outra haste colher material do orifício do colo uterino, das paredes vaginais direita e esquerda e do fundo de saco vaginal.
    - colocar esta haste dentro do meio de transporte
    - colocar a lâmina no frasco porta- lâminas encaixando-a nas ranhuras
    - colocar o swab, tubo de salina e frasco com a lâmina no saco de transporte

    1 - Quando gestante (independente da idade gestacional) colher delicadamente material do orifício externo do colo uterino. Anotar esta observação na solicitação.

    2 - Quando cliente virgem ou criança, colher material do intróito vaginal com o swab de haste dupla, destacando uma das hastes para fazer esfregaço em lâmina lisa e a salina e a outra haste enviar no próprio meio de cultura.

    3 - Quando cliente histerectomizada, colher material de parede vaginal direita e esquerda com swab de haste dupla, destacando uma das hastes para fazer esfregaço em lâmina lisa e a salina e a outra haste enviar no próprio meio de cultura.

    - Encaminhar o material (1 swab de tampa branca, 1 frasco com 1 lâmina (vaginal e cervical) e 1 tubo de salina) em saco plástico apropriado.

    - Enviar em temperatura ambiente.

    Estabilidade da amostra:
    Temperatura ambiente: 12 horas.

IMPORTANTEAnotar medicamento(s) do(s) último(s): 7 dias(s).

JEJUM

Prazo de Entrega do Resultado

Em até 4 dias úteis(incluindo sábado) às 19h

Manual de Exames
Meus exames contratados

/MAIS BUSCADOS